Amor eterno...

Lilypie First Birthday tickers

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

Da série "sou mesmo antiquada" (ou não!)

A ver uma série na RTP1, assisto ao seguinte monólogo:


"Sim, eles são muito modernos. Estão juntos mas saem com outras pessoas se lhes apetecer".

Alto e pára o baile!
Como é que se está junto com alguém mas se sai com outra mulher ou com outro homem?
Que raio de relação é essa?
Que é feito do respeito, do carinho, da emoção de se ir conhecendo uma pessoa aos poucos e poucos, da sensação de orgulho de pertencer a alguém...
Não sei, mas isto das relações abertas a mim faz-me mesmo muita confusão...

Share |




"Nosce te ipsum"

8 clips:

Sam disse...

olha que já somos duas.
isso e a teoria de ter um coração muito grande... na, não vou nisso.

Rita disse...

Sam, para dizer a verdade verdadinha verdadeira, não sei quem vai nisso.
Se falares com o meu noivo, ele dir-te-á que tenho um coração grande... mas não teria nunca espaço para dois homens a esse nível. =)

Sam disse...

quem vai nisso...hummm, não posso dizer nomes mas conheço alguns.

Num coração cabe muita gente, mas nunca 2 da mesma maneira

Rita disse...

Sam, eu pessoalmente não conheço ninguém nessa situação, mas também sou um bocado "bicho do mato" ;)
Claro que num coração cabe muita gente... mas dois namorados?... Não sei... acho que inevitavelmente acabar-se-ia por gostar mais de um do que de outro...

Sam disse...

claro que não cabem dois namorados...como diria um amigo meu, quem gosta de toda a gente é porque não gosta de ninguem

Rita disse...

Muito bem dito!!

Elias disse...

Pois... eu tb nao entendo...
A única explicação que encontro é parecida àquela que acabaram de mencionar:
essas pessoas tem dificuldade em realmente gostar de alguém (no sentido de amar), portanto o que acontece é envolverem-se ao mesmo tempo com várias pessoas a quem se sentem atraídos, porque é normal uma pessoa se poder sentir atraído a muita gente, mas como não conseguem ficar realmente a gostar e a amar uma dessas pessoas (que os faria inevitávelmente largar todas as outras), optam por escolher aquela que lhes parece melhor companhia como "preferido/a", ou seja "namorado/a" e mantém o resto como "divertimento" para o caso de momentaneamente se fartarem do preferido/a... e com isto se o dissesse noutro lado já estariam a cair em cima de mim neste momento, mas aqui no teu blog tão acolhedor, é capaz de não acontecer :)

Rita disse...

Pois é, Elias... és capaz de ter razão. Mas mesmo assim... não me convence!

Rascunhos antigos