Amor eterno...

Lilypie First Birthday tickers

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

Viva a honestidade!

Então não haveríamos de ser um país de "dótôres e engenhêros"??
Eu sei que desde muito novinhos somos ensinados que a média é importante, se não tivermos boas notas não seremos ninguém na vida, que quando chegamos ao secundário todas as notas são importantes para entrarmos na Universidade, para termos uma boa profissão, para sermos alguém.
Já não vou falar sequer no facto de hoje em dia nem com licenciatura nem sem ela podermos ter uma boa vida.
Vou falar sim de algo que muitos consideram normal e que eu não entendo... cábulas.
Ao longo de duas licenciaturas, vi muita gente fazer cábulas.
Não entendo.
As notas são importantes, sim, e ficar-se com uma boa média também porque poderá um dia garantir um melhor emprego.
Mas... se a média for obtida por causa de cábulas, que conhecimento teremos realmente ganho? Não conta mais um conhecimento sólido do que um 18 falsificado?
Na minha primeira licenciatura, vim a saber mais tarde, diziam que a minha mãe me fazia os trabalhos e que era por isso que eu tinha tão boas notas.
Acho que sim, acho que a verdade é mesmo essa, sobretudo porque o meu curso era de Arqueologia e a minha mãe é professora de Francês (portanto, tem tudo a ver... é o c* com as calças!)
Não... a verdade é que eu sempre gostei de estudar, já no secundário gostava (claro que isso me valia comentários como "marrona!", ou "tu não és normal como os jovens da tua idade", mas pronto, isso é uma história que fica para outro dia). E como gostava (e ainda gosto), agarrava-me aos livros e realmente sabia as coisas. Tirava então boas notas, mas que eram merecidas. Quando não estudava tanto, logicamente a nota descia, mas assim é que deve ser... 
Já no segundo curso, ao longo dos 3 anos, vi muitos bons colegas irem para as frequências com fotocópias de cadernos por baixo das folhas de prova. Fotocópias dos meus cadernos! Eu emprestava, pois, se eles me diziam que precisavam porque tinham faltado a uma ou outra aula... eu não consigo não ajudar alguém.
Mas levarem os meus apontamentos fotocopiados? Acho que nunca nada, em termos de escolaridade, me chocou tanto...
Mas até para cabular há que ser inteligente. É que nem com os meus cadernos subiam acima do 15/16...
É a mesma história do conhecimento sólido. Sem cadernos, eu conseguia os 18/19... porquê? Porque não é um papel com matéria que faz o nosso conhecimento, é o estudo e o investimento que fazemos sobre esse mesmo papel.
O povo português, diz-se, é o povo do desenrasca.
E este estudo sobre honestidade académica vem provar isso mesmo.
Como é muito mais agradável ir sair à noite, não se estuda... logo, há que "desenrascar", e saem os "auxiliares de memória"...
Não entendo.
Mesmo.

Share |




"Nosce te ipsum"

4 clips:

Luís C. F. Henriques disse...

Isso posso assegurar: as notas que tiveste, enquanto minha colega, foram todas por mérito próprio.

O que me dá um gozo tremendo: Doutor "d'isto", Doutor "d'aquilo". Muito bem, pergunta-se alguma coisa relacionada com a área de "doutorice"... pimba! Encalha logo o barco e começa a afundar-se.

Não sei o que será ainda preciso fazer para meter na cabecinha dessa gente que é preciso "saber" o que se está a fazer. Nos tempos que correm os "tachos" são cada vez menos, a sociedade está cada vez mais competitiva. Basicamente, um gajo hoje se não tem "skills" não se safa. Apesar das injustiças, é bom que isso aconteça. Há muita gente no mundo musical que devia (como dizia o nosso professor A.) estar na agricultura biológica.

Rita disse...

Luís: realmente tu sabes quanto estudei e quanto me esforcei (sem sentir nisso um esforço porque realmente adorei toda a matéria, excepção talvez feita a A.M.III mas isso tem a ver com a minha deficiência rítmica crónica...).
Achas que os tachos são cada vez menos?
Infelizmente posso assegurar-te o contrário... há muito boa gente, que eu conheço, que mesmo sem esses "skills" safa-se melhor que todos os outros que se esfalfam, e é muito frustrante essa situação...
Creio que o mundo da agricultura biológica ficaria rapidamente cheio!....

Elias disse...

Pois, disseste tudo...
Quanto aos vossos comentários, tenho a dizer: nesse caso, na agricultura biológica, rapidamente se instalava um cenário degradante: como eles são tão nabos em tudo, nem sequer um único nabo eram capazes de cultivar :P, quanto mais aqueles legumes e frutas que adoramos (peço desde já desculpa áquelas pessoas que adorarem nabos e por acaso lerem este comentário lool)... Portanto, permitam-me discordar: nem ai eles deveriam estar. Deveriam era estar no desemprego, era isso que mereciam, em vez daqueles milhares que estão ai mesmo sem o merecerem e sem culpa nenhuma.

Rita disse...

Elias, tu és radical! :p

Rascunhos antigos