Amor eterno...

Lilypie First Birthday tickers

quarta-feira, março 31, 2010

Das coisas engraçadas =)

Ontem, no emprego, atendi uma rapariga muito simpática, que está a tirar Mestrado. Precisava de umas informações. Como isto é tudo muito formal, era "você" para aqui, "vocÊ" para ali, nada de tratamentos por tu, mas que rebaldaria é essa!!!!

Ficou de regressar hoje, porque eu tinha que lhe dar uns papéis...

Oh, tu pra cá, tu pra lá... maravilha!
Gosto mesmo, não tenho feitio para ser tratada por "doutora"... somos as duas jovens, provavelmente da mesma idade, e ambas com pinta de simpáticas... para que nos havíamos de estar a tratar com tanta formalidade??

E é esta mais uma das coisas que gosto =) A naturalidade da interacção entre as pessoas.

Não há cá títulos quando nascemos... então por que havemos de perder a humildade e exigir que nos comecem a tratar por Doutora e afins?? Não é muito mais simpático podermos ajudar-nos uns aos outros, com naturalidade, com simpatia e cortesia?

Confesso... este "tu" pôs-me a sorrir (o que hoje não estava fácil!)

"Nosce te ipsum"

SIADAP?

Sistema descrito numa palavra apenas: DÚVIDA!!!



"Nosce te ipsum"

Um pedido muito especial...

...à minha virose de estimação.
Eu sei que me adoras, e que não consegues viver sem mim. Eu sei que te alegra assombrar os meus dias.
Mas por favor...
Já chega...
Estou farta de me sentir enjoada todos os dias, há mais de uma semana...
É que por tua causa, virose, dão-me uns enjoos repentinos que me dão vontade de jogar o estômago fora e susbtituí-lo por um novo... E depois nem consigo jantar, ou almoçar, ou ingerir o que quer que seja que não seja chá... e mesmo assim mesmo assim...
E ainda por cima, virose, tenho que apanhar com a tua amiga enxaqueca...
Porquê?...
Eu sei que vocês são muito amigas, mas a sério, deviam aprender a viver uma sem a outra... é que eu já tenho problemas de saúde a mais para gramar com mais vocês... Já sou muito amiga das alergias, das desastrices, das crises de estômago, das traqueítes, das faltas de ar...
A sério, virose, por favor pega em ti e na tua amiga enxaqueca e vão ver se eu estou lá fora a apanhar flores ou assim...
É que eu já estou farta de estar constantemente enjoada...



"Nosce te ipsum"

Ainda das coisas estranhas

Tenho para mim que o blogspot anda com problemas...
É que deve ter um filtro qualquer que escolhe automaticamente que comentários chegam à minha caixa de correio para aprovação. Já 3 pessoas me referiram que mandaram comentários que nunca cá chegaram.
E ainda hoje de manhã, a I. mandou um comentário do qual só chegaram 2/3: o primeiro e o último! O meio do comentário ficou-se pelo caminho. Dá para entender??

É que já parece a vaquinha gorda que aparece quando jogamos farmville e aquilo crasha e aparece uma mensagem a dizer "it looks like all the bytes got lost in your computer"... Pois... Assim anda o estado do meu blog alojado no blogspot...

E que reacção tive eu a isto? Um comentário assim: "Se tu és estranha, o teu blog também tinha de ser"...

Pois claro... quem sai aos seus não degenera!

Mas blogspot, por favor, podes deixar-te de amuos e mandar para mim todos os comentários para eu aprovar? A sério, eu sei distinguir os bons dos maus!!! Deixa essa tarefa para mim, não te quero sobrecarregar, com tantos blogs que existem... Ah, e de preferência, publica-me os comentários inteiros, ok?

A gerência da Secretária agradece!

"Nosce te ipsum"

Mas haverá mesmo alguém mais desastrado que eu?

É que é sempre tãããão bom cortar um naco de dedo com a faca do pão quando apenas se quer uma torrada...

E é sempre tão bom torcer os pés mesmo quando não se usam sapatos de salto.

E é sempre tão bom tropeçar nas calças que estamos a vestir...

Ai ai, eu e as minhas desastrices... Sou desajeitada, que posso fazer...

(O problema é que agora o dedo dói-me...)

"Nosce te ipsum"

terça-feira, março 30, 2010

Autógrafos?...

Num comentário muito recente, pergunta-me o Lampâda Mervelha se não lhe dou um autógrafo.
Isto porque eu se calhar me tenho gabado muito das coisas boas que me estão a acontecer, o contacto da Extreme Minds, o contacto da Rádio Comercial... o facto de ter voltado a escrever, de me ter voltado a sentir livre, de ter reencontrado a minha imaginação, no fundo de estar a ver alguns dos meus sonhos a concretizarem-se.

Mas eu não sou pessoa de dar autógrafos.

Sim, ambiciono os meus 5 minutos de fama, mas... daí a dar autógrafos... lolol. Sei que ele mo disse na brincadeira, claro, mas fez-me lembrar o único autógrafo que dei em toda a minha vida.

E foi bastante recentemente até.

No concerto de sábado, que eu tanto falei aqui. Já o concerto tinha acabado, e eu tinha voltado para a sala onde tinha as coisas com a A.L., a R. e o S., para pegarmos em tudo, e diz o S. assim:

"Trago aqui um aluno meu, que vos queria pedir um autógrafo porque gostou muito do concerto".

Foi tão esquisito! Eu, que sou apenas eu, nada dada a este tipo de coisas, e virem-me pedir um autógrafo? Confesso que me senti assim um bocadinho importante. Não muito mas um bocadinho (sim, que acima de tudo há que ser é humilde, e não estou a brincar). Foi engraçado escrever no programa do concerto do aluno do S. "Para o M., com um grande beijinho da ***Rita***"  (asteriscos representam o primeiro nome e apelido, que não interessam a ninguém, sou apenas a Rita).

Foi bom =) Mesmo.

Nunca pensei vir a dar um autógrafo, mas acho que é assim... acho que quando lutamos muito pelos nossos sonhos, e arregaçamos as mangas e batalhamos por eles, eles tornam-se de facto realidade.

Não quero de todo parecer convencida, por favor não me interpretem mal. Sou a mesma Rita de sempre, sem tirar nem pôr, mas... eu própria faço neste momento um brinde a mim. Porque acho que mereço. Porque luto muito pelo que quero. Porque as coisas não me são dadas de mão beijada e, por isso, quando as alcanço, sabem-me ainda melhor.

Estou feliz!!

"Nosce te ipsum"

Da estranheza

estranho(adjectivo)

1 - Não habitual; desconhecido
2 - esquisito; anormal
3 - desusado
4 - espantoso; extraordinário
5 - que é de fora; estrangeiro


Esta é a definição "oficial" deste adjectivo com que tantas vezes me caracterizam.
Acho que a primeira vez que me chamaram estranha foi quando eu tinha algures 14 ou 15 anos. Uma colega minha, em carta enviada "em segredo" a um familiar meu, dizia de mim assim:

"Ela é estranha... é um caso perdido, nunca há de ser normal em relação aos jovens da idade dela".

Essa minha colega, apenas por acaso, era também da minha família. Claro que isto em família fica tudo mais bonito...
Adiante.

Eu soube disto como, se a carta era em segredo? Porque essa minha colega esqueceu-se de a retirar do caderno de História... e eu precisei que ela me emprestasse os apontamentos, eu tinha faltado porque estava doente.

Abro o caderno e...

TCHARAAAAAANNN!

Deparo-me com essa frase tão linda e que me caiu tão bem na inocência dos meus 15 anos...
Depois percebi o porquê dessa designação: eu não namorava, não saía, estudava piano, gostava de ler imenso, adorava música clássica, adorava estar em casa com a minha família, com a minha irmã...

Logo, eu era uma jovem estranha. Um caso perdido, sem dúvida alguma. Nem sei como as pessoas se conseguiam dar comigo, de tão perigosa que eu era, de tão perdida que estava.

Daí em diante, muitas mais vezes me chamaram estranha. Estranha, tolinha, virtual, que não existo...

Mas nunca mais o fizeram assim por esses motivos, pela música que ouvia, ou pelos namoros que não existiam.

Hoje chamam-me estranha porque gosto do inverno, da trovoada, dos relâmpagos; chamam-me estranha por gostar de vento, de frio, de chuva; chamam-me estranha porque adorei Análise V; chamam-me estranha porque adoro estudar e digo que se pudesse estudaria toda a minha vida (infelizmente ninguém me patrocina e tenho que trabalhar lol).

Chamam-me estranha porque conto os degraus das escadas que subo ou desço.
Chamam-me estranha porque visto e calço sempre o lado esquerdo do corpo antes do direito.
Chamam-me estranha porque sou desastrada ao ponto de torrar a minha própria mão, rir-me e ir tocar com ela assim, em carne viva.
Chamam-me estranha porque nunca desejo sorte a ninguém antes de um exame, antes os mando a um certo lugar. E não agradeço se mo mandarem, pois isso trar-me-ia azar.

Chamam-me estranha por muitos e muitos motivos, todos eles verdadeiros.

Mas se a minha estranheza e "falta de adaptação" e o "caso perdido" da minha adolescência me transformaram no que sou hoje, então só tenho a agradecer à minha colega o ter-me aberto os olhos naquela altura.

É que realmente sou estranha... sou "não habitual", "desconhecida", "desusada", tenho manias que não lembram a ninguém.
Mas de caso perdido tenho pouco! Modéstia à parte, até tenho sido bem sucedida nos projectos que empreendo!

Estranha sim. E com orgulho!
Caso perdido?... Como diz Jorge Palma, "deixa-me rir"...



"Nosce te ipsum"

Desculpem, mas...

... vou babar-me mais um bocadinho!!

Este sábado, às 22h, toca a ligar a rádio comercial!!

É que A Secretária da Rita vai dar um programa de rádio!

Com direito a repetição no Domingo, às 09h.

Bora lá ouvir!! :D:D:D:D

E sim, estou muuuuuuuuuuuuuuuuuito contente com isto!!!! :D:D:D



"Nosce te ipsum"
http://desafiosdeescrita.blogspot.com/2010/03/excerto-da-historia-que-hei-de-publicar.html

"Nosce te ipsum"

Amostra do que tenho no Flickr =)



"Nosce te ipsum"
http://desafiosdeescrita.blogspot.com/2010/03/batalha-perdida.html

"Nosce te ipsum"

segunda-feira, março 29, 2010

Super-baba!

Vamos lá ver!!


No novo programa que estreia hoje na RTP1, está presente a minha irmã.

Sim, sou uma irmã babada!



"Nosce te ipsum"

Algumas pérolas do fim de semana

Ir a um restaurante e ser chamada de Princesa (sendo que os homens eram tratados de Principes)... Antes assim que aqueles brutamontes que servem mal e porcamente, mas teve à mesma a sua piada.

Acabar um almoço delicioso com uma sobremesa devidamente apelidada "Monte de Pecado", o que me levou a dizer "pronto, já pequei tudo por hoje". Tendo em conta o contexto quaresmal em que estamos, não foi muito apropriado, mas também não virá mal algum ao mundo por tê-lo dito.

Mas o melhor de tudo foi sem dúvida a seguinte conversa:

E. - És estranha.
Je - M., defende-me, ele chamou-me estranha (sim, eu estava em tom de brincadeira, não se assustem)
M. - Defender-te?? Mas tu ÉS estranha!

E pronto, toda a minha defesa por por água abaixo, fui atacada dos dois lados.

Razões para ser estranha?

- não gosto da hora de verão
- adoro quando anoitece às cinco e meia da tarde
- adoro trovoadas, chuvas, nuvens cinzentas, frio e vento
- não gosto do sol
- não gosto da primavera
- detesto o verão
- e mais umas quantas que agora não me lembro.

Ok, eles têm razão, sou estranha, mas escusavam de o ter dito e reafirmado à hora de almoço!!!

"Nosce te ipsum"

Momentos de paz (que bem preciso neste momento!)



Pôr do sol a caminho do Algarve, na estrada da serra, que liga Mértola a Castro Marim. 16 de Março de 2010



Sítio da Fábrica, Algarve, 16 de Março de 2010
"Nosce te ipsum"

Se há coisa que me irrita

É não me darem crédito pelo que faço.
Ou mesmo que não o dêem, que fiquem com ele.

"Vamos todos dar os parabéns à vossa colega X pela informação que vos deu"

O que a colega X se esquece de dizer é que antes de ela ter descoberto essa informação no google books, já eu a encontrara, divulgara, entregara o LH e disponibilizara no Scribd para todos quantos a queiram.

Mas aparentemente eu não mereço reconhecimento.

Fantástico, BdC.! É tudo o que tenho a dizer!

"Nosce te ipsum"

sábado, março 27, 2010

Mais uma vez... dos timings perfeitos!!

E digam lá que não adoram em dia de concerto, em que precisam das vossas mãos em perfeito estado, cairem, torcerem o pé, baterem com a perna e torcerem o pulso?

É bom, não é??

Só a mim... Mas que mal fiz eu na outra vida???

(mas vou tocar à mesma... isto quem vai tocar com a palma superior da mão em carne viva porque a torrou em dia de exame é perfeitamente capaz de ir tocar a Setúbal com uma ligeira entorse...)

"Nosce te ipsum"

E de repente... (este texto está também no meu outro blog)

E de repente...
Fecho os olhos. Inspiro profundamente e obrigo-me a esquecer do mundo que me rodeia. Concentro-me apenas no bater do meu coração.
Em meu redor, uma sala cheia, um burburinho imenso, conversas cruzadas, uma tosse e um espirro, talvez um bebé a chorar.
Mas fecho os olhos e concentro-me.
Na minha cabeça, vou eliminando todos os sons. Penso na minha respiração, nos músculos que se contraem e se expandem cada vez que inspiro e expiro. Forço-me a visualizá-los.
Eis que já não oiço o bebé a chorar de fome e de sono.
Penso no meu coração, forço-me a olhar para ele enquanto trabalha mecanicamente.
Eis que já não oiço o senhor idoso a tossir nem aquela mulher grávida a espirrar.
Fecho os olhos e obrigo-me a encontrar aquele silêncio, a aniquilar aquela sala enorme, cheia de público.
Aos poucos, o negro silêncio vai cobrindo aquele espaço tão iluminado e tão barulhento.
Devagar. Eis que estou a chegar ao meu mundo. O burburinho ainda está lá, mas em mim vai-se esbatendo devagar e aos poucos.
Continuo a pensar na minha respiração. No meu coração. Obrigo-me a visualizar de antemão todos os movimentos que as minhas mãos vão fazer. Penso no que quero transmitir.
Inspiro lentamente e expiro lentamente. As conversas cruzadas já não me afectam.
Na minha mente, que atingiu o silêncio que eu tanto procurei, nascem novos sons. Nasce o que vou tocar.
Inspiro uma vez mais.
A sala está agora completamente muda, completamente calada.
Ao silêncio que nasceu ali, junta-se o apagar lento das luzes.
De repente, existo só eu.
Eu e o meu instrumento.
Tudo está calado, mudo, silencioso, expectante.
E de repente...
Como se já não fosse eu, mas sim alguém a guiar-me...
O silêncio é deliberadamente rompido, alguém pega nas minhas mãos e fá-las tocar.
E um novo silêncio, diferente, nasce naquele espaço.
Um silêncio apenas marcado pela minha música.
Sim... estou em silêncio... interpreto... estou em silêncio e em paz comigo mesma.
E quando acabo e a ovação do público é estrondosa, continuo a nada ouvir.
Estou no meu mundo, estou ainda a gozar a música, apenas essa ecoa na minha cabeça.
Tudo o resto é um filme mudo.



"Nosce te ipsum"

sexta-feira, março 26, 2010

Dos timings perfeitos e sistemas imunitários da treta

Há coisas incríveis neste mundo.
Então não é que na véspera de um concerto o meu sistema imunitário resolve mostrar a fraca garra de que é feito e forjado e me deixa apanhar uma grande constipação??

É constantemente ATCHIM ATCHIM ATCHIM, olhos a lacrimejar, dores no corpo...

Yeay, que bom...

E mesmo na véspera do concerto...

Grande timing, senhor sistema imunitário, grande timing!

"Nosce te ipsum"

Tantas vezes peço isto...




MARY MAGDALENE

I've been living to see you.
Dying to see you, but it shouldn't be like this.
This was unexpected,
What do I do now?
Could we start again please?
I've been very hopeful, so far.
Now for the first time, I think we're going wrong.
Hurry up and tell me,
This is just a dream.
Oh could we start again please?

PETER

I think you've made your point now.
You've even gone a bit too far to get the message home.
Before it gets too frightening,
We ought to call a vote,
So could we start again please?

ALL

I've been living to see you.
Dying to see you, but it shouldn't be like this.
This was unexpected,
What do I do now?
Could we start again please?
I think you've made your point now.
You've even gone a bit too far to get the message home.
Before it gets too frightening,
We ought to call a vote,
So could we start again please?
Could we start again please? (Repeat 5 times)

MARY MAGDALENE

Could we start again?


"Nosce te ipsum"

E o seu silêncio imposto foi vencido!

A 26 de Março de 1827 morreu um dos maiores génios da Música Erudita. Beethoven.

E por sinal um dos meus compositores favoritos.

As suas obras, quaisquer que sejam, são autênticos monumentos, autênticos pedaços do património cultural mundial da Humanidade.

Há génios neste mundo, almas evoluídas, seres que são de facto superiores ao resto dos mortais, e este homem foi um deles. Pensem na sua última sinfonia, escrita no mais avançado estado de surdez.

Há silêncios impostos que são vencidos; o ser humano tem uma capacidade de se superar incrível. Ele não precisava da audição... bastava-lhe a sua inteligência musical, o seu instinto, a sua intuição.

Dotar de palavras de Schiller a sua última sinfonia. Um grito pela liberdade, pela igualdade dos povos.

"O resumo de sua obra é a liberdade," observou o crítico alemão Paul Bekker (1882-1937), "a liberdade política, a liberdade artística do indivíduo, sua liberdade de escolha, de credo e a liberdade individual em todos os aspectos da vida" (in Wikipedia).

Rompeu a barreira entre conteúdo e forma. A música tem um conteúdo, é mais que apenas uma forma, é mais que esqueleticamente uma sinfonia. É sim uma sinfonia completa, abrangente, que por intermédio das palavras diz a todos o que realmente se passava na cabeça e alma do compositor.

Mais tarde, isto transformar-se-á na "Obra de arte total" de Wagner; creio que a Nona de Beethoven é um bom começo, um bom início... ou uma boa consagração. Mais do que as óperas anteriores, em que importava o texto; mais que as sinfonias anteriores, em que importava a música per se. A nona junta o melhor das duas áreas, e é catapultada para o sucesso. Poesia e Música reencontram-se, quais irmãs perdidas durante muito tempo, e são tratadas com igual importância.

Como não reconhecer este homem como génio, como revolucionador da música? Escreve para si. Segundo as suas regras. Como não o admirar?

E é caso para dizer... se o silêncio apenas aparece em nós quando morremos, Beethoven venceu realmente a morte e o silêncio... e continua tão presente entre nós como quando estava vivo.

Pode fazer hoje anos que ele morreu... mas que continua vivo, continua...



"Nosce te ipsum"

quinta-feira, março 25, 2010

Não dá para ficar calada

Sou católica.
Mas não posso ficar calada perante certas notícias que se ouvem no jornal.
Nada de novo, verdade. Um padre abusador de crianças, desta feita, 200 jovens surdos.

Eu não entendo... se são padres... não deviam ter vocação? Adorar Deus antes de todas as coisas? Não magoar os outros? Ajudar os necessitados? Ajudar os pequeninos, pois aí está Deus? Em cada irmão pequeno que ajudamos?

Não posso deixar de criticar, peço desculpa mas não posso.

Atitudes destas claro que põem em cheque a Igreja. Ou deveria dizer igreja, sem letra maiúscula? Porque me recuso a acreditar que católicos (???) como este padre formem a Igreja, o Corpo Místico de Deus, os seus membros.

Ou se formam, eu não me identifico com essa Igreja.

A igreja com que me identifico é uma igreja de amor, de perdão, de ajuda.

Cada vez menos acredito em padres. Cada vez menos acredito no que dizem. Conheço talvez 2 padres que o são por pura vocação, e nesses acredito. Quanto aos outros... poupem-me!

Sou católica apostólica romana, sim, mas também tenho cabeça, e penso cada vez mais que aquilo que nos dizem na Missa, aquilo que nos têm dito ao longo de séculos e séculos não passa de uma igreja formada pelos homens, uma igreja masculina, meramente masculina porque a mulher é um elemento perigoso. Até a história de Adão e Eva nos apresenta, mulheres, como a fonte de todo o mal no mundo. Até que ponto é mesmo isso que Deus pensa? Até que ponto Ele acredita mesmo que nós somos inferiores? Até que ponto a sociedade se infiltrou na Igreja? Não sei... sei que acredito em Deus, em Jesus como seu filho, no Espírito Santo. Acredito. Não consigo não acreditar. Não me peçam para justificar. Como St. Inacio de Loyola diz, para quem crê, nenhuma explicação é necessária e para quem não crê nenhuma é necessária.

Agora o que não acredito é que seja por amor a este Deus que "padres" abusam de crianças. Abusam da confiança que toda uma comunidade deposita neles. Abusam do seu poder. Abusam de algo que deviam por ao serviço dos outros e nunca, nunca!, ao seu próprio serviço.

Se é esta a Igreja a que pertenço...

Já anteriormente a Igreja errou, sim, eu sei. Muitos crimes foram cometidos por ela. Basta que nos lembremos da Inquisição.

Mas é por factos destes que eu digo... acredito em Deus e nos Seus mandamentos... mas cada vez acredito menos nestas igrejas que nos querem reger e controlar o pensamento. Por vezes dá ideia que têm medo dos fiéis que pensam... e tenho pena disso. Não é por pensar que vou acreditar menos em Deus... ou no Seu amor... ou no Seu perdão... acredito menos sim em que sou filha do pecado, ou que não valho nada, ou que tudo o que faço é pecado. Não sei se me estou a explicar bem...

Acredito que Deus está em todo o lado, na Natureza, no campo, na cidade, no mar, na montanha, ele é jovem, velho, criança, homem, mulher... Se Ele é um todo, como dizer que é apenas masculino? É um Espírito de alegria, de Perdão, de Festa... e não um Deus que castiga e que está sempre a olhar para cima de nós e a apontar o dedo e a dizer "o que quer que faças, pecas, é mais forte que tu porque és humano"...

Entendem onde quero chegar?

Oh, como queria conseguir pôr por palavras o que penso...

Só sei que padres como este, que abusou de 200 crianças, não pertencem DE CERTEZA à mesma igreja que eu... adoram um deus muito próprio deles... um deus mau... e isso enche-me de tristeza, porque sei que Deus não é assim...




"Nosce te ipsum"

Em paz











Assim me sinto hoje.
Calma, pacífica, cheia de uma alegria morna, de um contentamento sereno... em paz comigo e com o mundo...
Sou una com o que me rodeia, e adoro essa sensação...

Voltei a escrever, recebi boas críticas ao Curiosidades Históricas e ao Desafios da Escrita.
Sinto-me realizada quando escrevo. Sinto-me plena. Sinto-me eu própria, sinto que posso explorar todos os meus lados.
Quando escrevo sou calma, furiosa, meiga, cruel, sou tudo e todos, todas as emoções boas e as mais vis, tudo me enche e há esta necessidade de transbordar para um papel, para um computador, para a minha memória...
Quando viajo, recolho todas as impressões, e tudo transmito à escrita...
E depois fico assim...
Em paz. Contente. Cheia. Serena.
E é bom.
Na escrita me refugio... na escrita, encontro o meu "lugar feliz" que me protege deste mundo doido e acelerado em que vivo...
E é bom...






"Nosce te ipsum"

Hoje sinto-me....

Romântica. Feliz. Bem disposta. Alegre.

No caminho para o trabalho, liguei a Antena 2. Marta Argerich interpretava a primeira balada de Chopin, em Sol menor. Era uma gravação de 1959, ainda antes de ela ser internacionalmente reconhecida.

Confesso que foi o início de dia perfeito... A estrada estava deserta, o dia cinzento não me fez diferença, conferiu um certo mistério ao que me rodeava. As árvores pareceram-me mais belas que nunca, ao som de Chopin. Ao som da musicalidade e interpretação fabulosas de Argerich. Meu Deus... quanta profundidade em cada nota! Quanta emoção, quanto carinho, quanto desespero, quanta alegria...
Despertou em mim sentimentos que não sei descrever... mas acho que assim é porque eu não sei viver sem música, sem piano, sem tocar, sem interpretar... e comovo-me quando oiço algo tão belo e que fala tão dentro de mim como aquela balada. Não é à toa que um dia hei de a tocar...

Com este fundo musical, pensei em tudo, em todos, no que me rodeia, no amor que sinto pela Natureza, pela minha Família, pelos meus amigos.

Senti-me parte de tudo e de todos, como se a minha alma tivesse saído de mim e se tivesse fundido com o resto do mundo.

Foi fantástico.

Talvez este seja um post lamechas, I don't care.

Sinto-me feliz, alegre, bem disposta, amorosa, carinhosa, contente... e sim, romântica, porque hoje faz 11 meses que comecei a namorar.

Tudo em mim hoje é amor e boa disposição, felizmente aquele mau humor de ontem desapareceu!

E isto à conta de ter ouvido Chopin, a caminho do trabalho, numa estrada deserta e debaixo de nuvens cinzentas... Love it!

"Nosce te ipsum"

quarta-feira, março 24, 2010

Hoje é um mau dia

Sabes que tens um mau dia quando acordas de manhã e te sentes com um tal mau humor que atrais para cima de ti tudo quanto de negativo há.

Não sei porquê mas sinto-me assim hoje. Revoltada. Zangada.

Acho que tem a ver com os carros todos que apanhei a caminho do trabalho, a caminho do almoço, e de regresso ao trabalho.

Hoje deve ser o dia de todos-os-palerminhas-ao-volante!

Estou naqueles dias de "I'm the best, **** the rest!"

"Nosce te ipsum"

Da Lista - Update

E o ponto 93, comprar o último CD do David Fonseca, "Between waves", já foi realizado.

E A-DO-REI o bendito CD! =)

"Nosce te ipsum"

AAAAAAAARGH!!!

Está um alarme de carro a tocar há 20 minutos no outro lado da rua. Estou a dar em doida!!! O barulho já se enfiou pela cabeça dentro e não sai!!! Mas será que o dono do carro não aparece?? Isto não é uma terra assim tão grande!!



"Nosce te ipsum"

Fábrica das Letras

Encontrei este blog, Fábrica das Letras, e como gosto de escrever, vou passar a colocar lá alguns textos. Como isso sai um pouco do âmbito do que faço neste blog, n'A Secretária da Rita, vou criar outro exclusivamente para os textos que colocarei na Fábrica.

O dito blog é este. Por ora ainda está vazio, mas dêem-me tempo... e ele irá enchendo! A escrita é uma paixão que tem de ser alimentada =)
Boa 4f para todos.

"Nosce te ipsum"

terça-feira, março 23, 2010

Coragem

Então e onde anda a minha coragem de amanhã me levantar às 7 da matina para ir trabalhar??

Alguém a encontrou?

É que eu não a encontro...

Estou cansada, queria dormir a manhã toda... :(

"Nosce te ipsum"

Para retomar o bom humor...

Nada como regressar a casa, pôr a mesa, ir jantar... e escaldar o antebraço na panela de pressão, que estava a escaldar, com um delicioso guisado de carne lá dentro.

Curiosidade ou não, foi a mão que há uns anos foi delicadamente torrada.

Não tens emenda, Rita, não tens emenda...

"Nosce te ipsum"

Da coragem de certas pessoas e de afirmações espectaculares

Ode à tua coragem:

És tão corajosa, estrela da manhã, que brilhas tão alto no firmamento!
És tão corajosa, quem me dera ser como tu, é a aspiração máxima da minha vida...
Querer saber de ti e mandar pessoas fazê-lo na minha vez...
Oh, mas tamanha coragem será realmente possível, estrelinha?
Graças a ti, tenho os computadores do Ministério da Saúde e da Fundação para a Computação Nacional atrás do meu blog, para além do teu agente secreto pessoal do KGB.
Oh, como eu te admiro!
Oh, como tu és superior a mim!
Oh, estrela, estrelinha, volta, ilumina-nos com a tua sabedoria, inteligência e esperteza! Não sei como sobrevivo sem ti!
Oh, espreme algo da tua coragem para cima de mim!

OR NOT!

Minha grande filha de uma senhora de laia menos recomendável! Ou começas a ter t*****s para assumir as tuas coisas ou então não te prevejo grande futuro, sabes?

Podes ser uma estrela muito brilhante, mas é longe de mim. Porque se vieres com esse brilho todo chatear-me a mim e à minha família, juro-te que não respondo por mim.

Os leitores assíduos deste blog que me desculpem, mas aparentemente a única forma de chegar a esta pessoa tão irritante é precisamente por aqui. Dá-se ao luxo de "googlar" o meu nome, dá-se ao luxo de mandar terceiros perseguirem-me, controlarem o que escrevo, o que digo. Minha querida estrela, acho muito bem que leias isto e se tiveres um pingo de vergonha nessa tua cara, livra-te de continuares a ser sonsa e de me dirigires a palavra mais uma vez que seja, porque aí hás de ouvir tantas tantas tantas que nem sabes onde te metes.

E sim, podes ir dizer isso à tua mentora. E sim, está descansada que o meu hi5 continuará disponível para que me controles. Eu não tenho medo de ti, nem paciência para ti. Por favor, lê isto e vai meter no delicado (not) traseiro de quem tu bem sabes. És uma cobarde, e não tens coragem de admitir pela frente a m***a que fazes, pois então os teus agentes lerão isto e transmitir-te-ão a minha mensagem

Peço uma vez mais desculpa aos verdadeiros leitores do blog, mas não tenho outra maneira de fazer transmitir a minha mensagem a uma certa estrela com a mania que é a constelação da Ursa Maior!


Passando às afirmações fantásticas:

Já a National Geografic dizia: "As vacas são animais fantásticos e com um perfil inequívoco".

Confirma-se.

Tendo dito isto, uma boa terça-feira a todos. A minha, graças a isto tudo, já está bem estragada.


"Nosce te ipsum"

segunda-feira, março 22, 2010

Tão bom!!!

Tenho enviado excertos da minha história (a tal que um dia será publicada, dê lá por onde der) a muita gente.

Finalmente ganhei coragem e perdi o medo de ser criticada ou apontada como alguém que apesar de gostar de escrever, não fazer a mais pequena ideia de como o fazer sem ser de uma maneira "foleira".

E eis que acabo de receber uma chamada da C., a minha grande amiga C., a dizer "a-do-rei cada bocadinho que li! Dá vontade de ler mais e mais e mais e ver o que vai finalmente acontecer! Muitos parabéns"

Epá....

Desculpem lá enquanto me babo um bocadinho, só que... é bom!!!! Sabe bem alguma das pessoas a quem enviei excertos telefonar de propósito para dizer "adorei".

É bom ser-se reconhecido, e é isto que me faz acreditar que um dia a história sairá mesmo a público!

"Nosce te ipsum"

Do estranho mundo do google e dos seus utilizadores



 
A quem passa pela cabeça colocar a seguinte expressão de pesquisa no google.pt:

 "*** rita *** blog"??

(sendo os asteriscos o meu primeiro nome e o meu apelido, claro está)

Eles andam aí, ai andam andam...


"Noscete ipsum"

Dos objectivos de vida e mudanças de direcção

Ontem tive de ir à Guia, ao Algarve Shopping.
Tinha um encontro marcado lá, e, depois do almoço, lá me dirigi ao dito shopping (e eu que não tenho paciência nenhuma para sítios assim ao fim de semana, visto estarem a abarrotar de pessoas. Não me dou bem no meio de muitas pessoas, sinto-me sufocada e sem conseguir respirar. Mas isso são outras histórias).
O ponto de encontro era na Fnac. Entrei, juntamente com as pessoas que me acompanhavam, dirigimo-nos à zona do café, e constatámos que iria haver uma apresentação de um livro sobre os profissionais que trabalham com crianças autistas.
Confesso que a princípio pensei que iria ser aborrecido, nem sei porquê, para dizer a verdade.
Mas a verdade é que a convidada da autora começou a apresentar o livro e, à laia de introdução,  leu a carta de uns pais de uma criança autista que comparavam o ter um filho com necessidades especiais com uma viagem desejada a Itália. Viagem muito planeada, muito pensada, os pormenores definidos, o que se visitaria, por onde se andaria, o que seria necessário aprender em termos de linguagem... Mas quando o avião aterra, descobrem que não estão em Itália. Estão na Holanda. País sobre o qual nada sabem. Cuja linguagem não conhecem. Cujas tradições e monumentos lhes são desconhecidos. País onde não querem ficar, não era o planeado, mas de onde não têm como sair. Não lhes resta outra opção se não conformarem-se, mas ao mesmo tempo lutarem para conhecer o destino onde foram parar sem que lhes tivesse sido pedida opinião. E ao começarem a conhecer a terra para onde o destino os levou, começam a descobrir as belezas que em Itália nunca encontrariam

Por que razão venho eu hoje aqui falar disto?

Quando era miúda pensei que a vida me levaria para "Itália".
Por razões de saúde, fui parar à "Holanda". Só que ao contrário daqueles pais, eu ainda não aceitei a "Holanda". Não consigo aceitar "Holanda". Foi uma mudança de direcção que me recuso aceitar, e ao recusar aceitar, não consigo verdadeiramente aceitar-me. E sofro com isso, por muito que me faça de forte e diga que não.

Não tenho razão para não ser feliz: tenho casa, ordenado, carro, família, não passo fome, não sou maltratada, tenho um noivo que me adora e que eu adoro, estou a tirar o curso dos meus sonhos, tenho trabalho fixo, tenho projectos pessoais...

Mas a "Holanda"... continuo desesperadamente à procura de uma saída dela. Há 8 anos comecei a conseguir sair dela. Mas fui parada pela polícia de imigração... e volvidos 8 anos, regresso à Holanda. Ao ponto de partida. E isso dói.

Lamento se por isso sou fútil, mas por vezes não consigo ser mais forte e vencer isto e dizer que não me importo.

Lutarei até ao fim para sair desta "Holanda" que me foi imposta e para chegar à "Itália" que devia ter sido o meu destino original...

"Noscete ipsum"

domingo, março 21, 2010

Dos sonhos

 
Um dos meus maiores sonhos é ser mãe. Desde há anos. Sonho com isso imensas vezes, e são sonhos tão realistas que até assustam.

O problema...

É quando esses sonhos são pesadelos!!

Então não é que esta noite sonhei que estava grávida de trigémios... Até aí tudo bem, certo?
O único problema é que me queriam obrigar a abortar, o E. não sabia que ia ser pai, eu chorava na clínica onde me tinham levado, aquilo era macabro, com um médico que me estava a julgar por eu estar grávida com 25 anos (como se isso fosse um crime!!!...)...

Mas o mau ainda não é isso... O mau é que os meus trigémios tinham uma deficiência congénita, dois deles eram siameses e partilhavam apenas uma cabeça. Que horror... :(

Céus, que desespero... Chorei tanto no meu sonho...

Que isso nunca me aconteça! É tudo o que peço, que eu possa um dia ter uma gravidez normal, sem me ver confrontada com uma situação destas...

Acordei mesmo perturbada...



"Noscete ipsum"

sábado, março 20, 2010

Das superstições, manias e afins

Quem nunca ouviu a expressão "não me sento numa mesa onde comigo perfaça o número de 13"? Ou "Não cruzes os copos durante os brindes"?

Há muitas superstições. Cada qual tem as suas. E por muito ridículas que elas possam parecer, acho que ninguém tem o direito de escarnecer delas.

Superstições ou manias. Acho que a separação é difícil. Afinal... como se podem distinguir? Eu pessoalmente não consigo...

Isto devia ser um post mais elaborado, mas devido à hora e à noite difícil que tive ontem graças aos meus vizinhos (o que daria outro post, mas nitidamente desagradável, e como não me apetece perder tempo com coisas desagradáveis...)

Todos nós, por muito civilizados que sejamos (como se superstições tivessem a ver com grau de civilização!...), temos as nossas manias e superstições.

Eu então sou um compêndio!

Vejamos:

- Não passo por baixo de um escadote;
- evito cruzar-me com gatos pretos;
- não me sento a cantos das mesas porque me quero casar;
- Acabo de recusar mostrar um penteado que se calhar quero para o meu casamento ao E. porque dá azar o noivo ver a noiva antes. E para mim isso implica vestido, penteado, maquilhagem, tudo.
- visto e calço sempre o lado esquerdo do corpo primeiro. Sempre. Sem excepção.
- Deixei de assobiar porque "menina que assobia não casa".
- saio sempre, sempre, sempre com o pé direito das escadas (mesmo que para isso tenha que "trocar o passo" a meio das mesmas)
- conto sempre o número de degraus quando subo ou desço escadas (até hoje me lembro que até ao 1º andar da Torre Eifell são 319 degraus. Subidos à la pate com 8 anos.)

Acho que podia enumerar muitas mais... o que é curioso é que há umas que nunca "pegaram" comigo. Não tenho problemas em sentar-me numa mesa com 13 pessoas, ou em cruzar talheres, ou abrir guarda-chuvas dentro de casa, ou em partir espelhos, ou em cruzar copos nos brindes....

Enfim, vivam as superstições! Tornam a vida bem mais divertida!


"Noscete ipsum"

sexta-feira, março 19, 2010

Friday night

E eu encerrada em casa, de roda do computador, msn, blog, e facebook...
Mas o que eu queria mesmo mesmo...

era sair!!!!

Mas com quem?...

Bah..

Estou farta, é trabalho-casa, casa-trabalho, trabalho-évora, évora-casa... então e tempo para mim? tempo para descansar, para rir, para sair, para cuscar, para beber um copo, para ir jogar bowling?...

Adoro a minha casa, adoro... mas estou farta, tão farta, de passar noite atrás de noite aqui, fechada...

:(

"Noscete ipsum"

efectivamente...

Mais um bom final de tarde!

Nada como pegar na KKK e irmos as duas para o shopping fazer umas compritas e jantar.
Eu sei, eu sei, é quaresma e não devia ter comido carne, mas... o hamburguer estava tão bom!!

E depois de uma excelente tarde em excelente companhia...

tenho a dizer...

BENVINDO FIM DE SEMANA!!

Possas tu durar muuuuuuuuuuuuuito tempo!
Feliz fim de semana a todos!!!

"Noscete ipsum"

Desculpem

Enquanto dou mais 3 pulos de alegria e crio umas quantas expectativas ao reler a seguinte frase:

"Foi inteligente da tua parte escrever sobre uma área que conheces: a música clássica.
O excerto que nos enviaste dá a indicação de que é possível efectuar a publicação do livro em questão, com algumas correcções."

"Noscete ipsum"

Conversas estranhas

WWW - Sempre estou curioso para ver como resolves a questão das Américas.
Eu - Logo vejo. Se não conseguir mais nada, ela parte uma perna, ou não faz a audição, ou algo assim
WWW - Tu és terrível! Mais valia atacá-la com um bando de minhocas assassinas.
Eu - (silêncio)... estou a tentar imaginar...
WWW - A sério! Ora aí estava um bom filme de terror para veres!!!
Eu - (pensando seriamente no caso)... Não. Decididamente.

É que tentem compreender... minhocas são minhocas... o facto de se transformarem am assassinas torna tudo muito mais perturbador. E aí em vez de 5 noites sem dormir, seriam 5 meses.

WWW - ainda bem que nao sou um compositor de vanguarda, porque se não, ao ouvir-te pelo telefone escrever este post, ainda teria a ideia de escrever uma sinfonia electrónica para teclado de computador!


Risada total!


"Noscete ipsum"

E eis que descubro...

Mais uma fantástica alergia!

Sou um poço de surpresas, confessem.
Hoje de manhã, bem disposta como acordei, decidi algo quase inédito: maquilhar-me, pôr brincos e perfume. (E nada de gozar, que eu sou muito terra-a-terra e raramente tenho paciência para me andar a embelezar! Gosto muito de andar ao natural, com a cara lavadinha!)

Ora bem, a parte dos brincos sem problemas.

A parte da maquilhagem, sem problemas (também não foi completa, que no outro dia descobri que sou alérgica ao meu batom preferido, logo, lábios "despintadinhos" que assim andam muito bem).

Chegamos ao perfume.

Olho para a catrefada de frascos, frasquinhos e frasquetas que tenho na cómoda, alguns dos quais ainda nem foram estreados e já têm anos (isto só para verem como eu ligo pouco a estas coisas...).. e descubro um que me foi oferecido no Natal de 2008.

Por estrear.

É um da Kenzo, acho eu, com o desenho de uma flor ou algo que o valha, num frasco alto e estreito e muito bonito.

Pois é...

Pssst pssst, duas "bombadas" de perfume... e...

COF COF COF COF ATCHIM ATCHIM ATCHIM ATCHIM!!!

Estive quase 15 minutos aflita para respirar!!! Sou alérgica ao raio do perfume!!

Toma lá que é para não te armares em vaidosa!!

(Menos mal que não sou alérgica ao perfume da minha vida, escada magnetism... aí sim, ficaria extremamente triste!!)

Conclusão: tenho um perfume novo para oferecer. Acho que a minha mãe vai ser a feliz contemplada!!


"Noscete ipsum"

quinta-feira, março 18, 2010

Por favor, sistema imunitário...

Dá-me uma folga!!

Depois de uma crise de alergias que me deixou com a cara com o dobro do volume, vermelha, e com comichões terríveis;

Depois de uma crise de asma/traqueíte/rino-faringo-sinusite que me fez estar a antibi
otico não sei quantos dias;

Depois de dores terríveis no peito, pieira e falta de ar que me têm assolado...


Ainda tinhas que aceitar uma virose que me deixou cheia de dores de estômago e de intestinos? :(

É que não se faz, sistema imunitário, não se faz...

Ainda por cima a tal ecografia...

Fiasco!
Fui a correr para Tavira para a poder fazer e de resto não ma fizeram porque a ADSE ainda não me renovou o cartão.

Que bonito.

Já renovei contrato há quase um mês, e pedi o outro cartão, eles não enviam a tempo e eu é que me tramo... é sempre assim...

:(

"Noscete ipsum"

Hmm, que cheirinho!!

E eis que a Fátima veio aqui "meter o bedelho" no meu blog, e deixou-me esta prendinha que cheira tão bem como um ramo de rosas!




Ora bem, o desafio associado a este selinho bem cheiroso é o seguinte:

1 - dizer qualquer coisa sobre mim:

Isso é fácil, há todo um repertório de adjectivos que me classificam... sou teimosa, orgulhosa, lutadora, sonhadora, trabalhadora, gosto de ter sempre razão, volta e meia tenho ataques de parvoíce enormes, faço comparações que não lembram à cabeça de um pau de fósforo, adoro escrever, choro quando estou nervosa... é preciso continuar? ;)

2 - Dizer uma coisa que goste no blog de onde recebi o selo:

Adoro o blog da Fátima! É super engraçado, e ela tem uma maneira muito própria de nos contar as suas peripécias. Ah, e claro, as peripécias das gatinhas :p

3 - Desafiar 5 blogues, oferecer-lhe o selo e caracterizar os blogues em questão:

Hoc opus hic labor est... Aqui é que a porca torce o rabo! Então aqui vai, e sem ser por ordem de preferência, todos os abaixo nomeados estão entre os meus preferidos



- Eu e o meu Umbigo
- O meu blog é secreto
- Deita cá para fora
- Stupid is the new smart
- Scapegoat
- Olhos Dourados

Quanto a caracterizá-los... eu gosto tanto destes blogs que me parece injusto caracterizar uns como divertidos, outros como honestos, outros como irónicos... Gosto imenso deles todos, por alguma razão estão na lista dos que sigo com maior frequência :p

Por isso já sabem, levem o selinho e passem o desafio!!



"Noscete ipsum"

Férias

Teoricamente estão marcadas... Agora resta esperar por Dezembro!

"Noscete ipsum"

Em conversa...

Surge a seguinte expressão:

XXX - "Deixa lá, pode ser que a minha veia literária viperino-irónica desperte".

Sim!! Sim!! Por favor!! Tenho falta de me rir!!

Ahaahahah não mudas, XXX, não mudas!


"Noscete ipsum"

A pressa é inimiga da competência




Se há coisa que eu não gosto é fazer as coisas à pressa. Acho sempre que o que é feito em cima do joelho tem tendência a não ficar bem feito, e perfeccionista como sou, das piores coisas que me podem fazer é apressar-me.

Seja para o que for! Para escrever, para adormecer, para acordar, para ler, para fazer trabalhos, para estudar...

Tudo leva o seu (neste caso, meu) tempo a ser feito. Gosto de pensar nas coisas, senti-las, saboreá-las, cheirá-las, e isso é cada vez mais raro num mundo pautado pelo tic-tac dos relógios, num mundo onde anda sempre toda a gente a correr, tentando agarrar o tempo, já de si tão fugidio como água a escorrer entre os dedos.

Detesto mesmo fazer as coisas à pressa, e depois ainda há aquele ditado "Quanto mais depressa mais devagar".

Por que razão estou eu aqui a divagar sobre pressa e calma?

Porque se não gosto de fazer coisas à pressa, obviamente que uma das coisas que mais me irrita é almoçar à pressa.

Aliás, acho que esse conceito nem existe. Não se "almoça à pressa", engole-se um bocado de comida olhando de viés para o relógio. E isso mexe comigo! Não se consegue saborear em condições (e hoje a comida até estava bem boa, massa com panados e salada), vai-se perdendo o prazer que é estar à mesa com a família, o estômago fica muito cheio muito depressa, depois pesa toneladas, anda-se a tarde toda com a sensação de que engolimos o monte evereste...

"E por que raio, se detestas tanto isso, foste almoçar à pressa", perguntam vocês, e com muita razão..

A minha resposta é simples: quando se trabalha num sítio que às 12:30 fecha a porta, para só reabrir às 14:00; quando não se almoça nesse sítio; quando às 17h se tem uma ecografia marcada numa terceira cidade; quando 4h antes da ecografia não se pode comer nada... resta a solução de comer até às 13h. Ora não sendo possível comer das 12:00 às 13:00 porque a porta do dito sítio onde trabalho fecha às 12:30, resta a solução de em 30 minutos (contando a partir das 12h) sair do trabalho, dirigir-me à cidade onde almoço, engolir o dito bocado de comida à pressa, voltar a pegar no carro, voltar a dirigir-me ao sítio onde trabalho para tentar chegar antes das 12:30.

Sim... é uma maratona!

Sobretudo se lhe juntarem a parte do "Quanto mais depressa, mais devagar"... é que apanhei todos os santinhos-condutores-muito-cautelosos que andam a pastelar a 30km/h..bom!!!

Conclusão, lá consegui efectuar esta maratona... mas o meu estômago queixa-se e com razão!

Lá está, a pressa é inimiga da competência... e aparentemente das boas digestões também!

"Noscete ipsum"

Fim de tarde perfeito

Ontem foi um dia recheado de coisas positivas. Bem podia eu ter mais dias assim, não me importava nem um bocadinho!

Acordei super bem disposta, com vontade de espalhar alegria pelos quatro cantos do mundo.

À tarde, recebi o tal email que falei na postagem anterior, e confesso que estou entusiasmadíssima para ver onde isto vai levar. Já precisava de um estímulo assim, que alguém fora do meu círculo familiar e de amigos próximos acreditasse em mim. Deu-me outro alento para escrever, e cada vez mais vejo o meu antigo sonho de criança (do alto dos meus 4 ou 5 anos, afirmei que queria ser escritora! hehehe) perto de se concretizar. Sei que ainda tenho um enorme caminho pela frente, não sou tão "tapadinha" como alguns querem crer, nem tão "inválida" como durante anos me disseram e fizeram acreditar. Sei que isto envolve muito trabalho, sei que não é fácil. Sei disso tudo. Mas é um sonho, e tal como muitos outros sonhos que tive (como tirar a licenciatura em Piano, por exemplo), vou lutar por ele. Estou disposta a arregaçar as mangas e trabalhar arduamente para atingir o que quero. Não quero lá chegar de mão beijada, quero ter mérito próprio, e sei agora que um dia vou conseguir lá chegar. Estou pronta a dar o meu melhor, o meu tudo por tudo, nada nem ninguém me vai conseguir derrubar agora. Sempre adorei escrever, sempre adorei ler. Uma folha de papel e uma caneta, uma biblioteca com livros antigos, uma cabana isolada onde posso ter grandes diálogos com a minha imaginação - eis o que me faz feliz como ninguém imagina. É isso e tocar piano para mim. Expressar-me através do que toco. Estou entusiasmada, e quem me conhece, sabe que eu já precisava de uma mudança no meu humor, já precisava de algo que me fizesse sorrir novamente de excitação e alegria e ansiedade.
O email de ontem à tarde foi o primeiro passo. Como eu dizia à noite ao E., muitas vezes o que custa mais é o lançar a primeira pedra de um projecto. Quando essa pedra é lançada, o resto vem com o tempo e com o nosso trabalho (isto porque ele também acaba de lançar a primeira pedra de um projecto dele, mas não me compete falar disso). Agora é trabalhar.

Mas como se esse email não bastasse, ao fim do dia ainda fui tomar café com uma grande amiga. Daquelas daqui de dentro do peito. Aquelas que nos puxam as orelhas sem medo quando fazemos alguma asneira, as que nos ouvem sempre que é necessário.

Por várias razões (nomeadamente porque desde que a conheço, já lá vão 10 anos, ela é sempre muito muito muito muito ocupada, nem sei como tem tempo para respirar!!), por vezes estamos anos sem conseguir tomar um café. Vamos mantendo contacto aqui no blog, onde ela vem deixar umas postinhas de pescada engraçadas e que me fazem rir como se não houvesse amanhã, e pelo Facebook. Mas não é a mesma coisa revê-la pessoalmente, pôr a conversa em dia, rir, falar...

Ok, a única coisa que se dispensava era a banda sonora do café... era assim a atirar para o mais pimba que eu conheço... e alta como tudo, mal me conseguia ouvir a pensar!

Mas é como digo.

Ontem, foi um dia perfeito, com um final de tarde perfeito por ter reencontrado "a vivo e a cores" essa minha amiga! Valeu a pena o tempo de espera a que ela me submeteu (lá está, muito ocupada como sempre ;p)

Hoje é um novo dia.

Vamos arregaçar mangas e trabalhar!

Feliz quinta feira a todos vocês!
Sorriam como se não houvesse amanhã, e verão o poder que um simples sorriso traz.

Muda-vos a vida.

"Noscete ipsum"

quarta-feira, março 17, 2010

Nem acredito!

E quando pensamos que certos sonhos não passarão nunca de sonhos...
Recebemos um email que pode vir a mudar a nossa vida!

Nem sei como me sentir, estou a explodir de alegria, estou a tremer de felicidade, nem consigo respirar em condições.

A Extreme Minds respondeu-me, e nunca esperei este tipo de resposta da parte deles!

Nem sei como reagir!

Estou tão feliz! Ninguém consegue imaginar! Não conseguem!

Vão-me enviar um contrato de um ano!!

Não há palavras para descrever a alegria que sinto. Não há. Nada nem ninguém me conseguirá estragar este momento de felicidade!

"Noscete ipsum"

Sometimes

Às vezes a minha imaginação é a minha melhor amiga!

"Noscete ipsum"

É assim

Eu até gosto do frio. A sério que sim. Mantém-me acordada. (para além do facto de detestar calor e verão e sol e por aí fora).

Agora, o que eu não compreendo...

É como é que está relativamente quente lá fora, eu tenho o gabinete aquecido a 29º desde as 9 da manhã, e continuo gelada por dentro.

Parece que engoli o Polo Norte!!!

"Noscete ipsum"

terça-feira, março 16, 2010

Da Lista

Ponto 80 feito. Jantar num restaurate de sushi.

Mishi Mishi, em Évora. Miam!!

:D

(Não me apetece escrever mais... demasiado chateada com muita treta... talvez amanha cá venha)

"Noscete ipsum"

segunda-feira, março 15, 2010

Decididamente

Portugal não precisa de certo tipo de pessoas.
E eu também não. O mesmo se aplica ao meu círculo familiar.

Não adoram quando certas pessoas que não são portuguesas vêm para cá e querem à força toda fazer-nos sentir uma raça inferior? Dá-me uma raiva que não vos passa pela cabeça. Acabamos por ser vítimas de xenofobia dentro do nosso próprio país, e isso é PURA E SIMPLESMENTE INADMISSÍVEL!

Faz-me lembrar um programa do Nilton, que passava há uns anos (cerca de 6) na rádio, e em que ele nos dizia "essa gente vem para cá com uma estratégia de colonização muito bem delineada. Fingem-se de burros, obrigam-nos a falar a língua deles, e é tudo um plano para nos dominarem".

Brincadeira?
Pode ter sido. Ou não.

Porque hoje sinto isso na minha pele, e na dos que me são mais próximos.

E tu, se vieres mais uma vez que seja aqui bisbilhotar o meu blog para transmitires o que digo e o que penso a terceiros, só te aviso: é melhor não pores mais os teus delicados olhos à minha frente, sou capaz de não responder por mim.

"Noscete ipsum"

Às vezes

Às vezes penso que sonho de mais. Creio que deveria descer um pouco mais à terra. O sonho comanda a vida, sim senhor, isso é muito bonito, mas se for irrealista mais vale esquecê-lo...

"Noscete ipsum"
E pronto...
Encravei!

Uma pessoa faz esquemas para ver se organiza a cabeça e as ideias, e se encontra um rumo verídico, e sai dos esquemas com mais dúvidas e mais confusões do que quando entra nele. Só trouxe foi dores de cabeça!

Resultado?

Encravada que nem uma porta perra!

Para além disso estou cheia de frio, gelada por dentro, nem o chá de menta ajudou.. bah...

Just one of those days, you know?...

"Noscete ipsum"

Frase do dia

Estava eu a esquematizar um pouco o seguimento da minha história, para ponderar várias opções válidas e tentar descobrir a mais interessante, e ao fazer algumas pesquisas para o que preciso descobri uma frase linda de Fernando Pessoa. Linda e verdadeira.

"O amor romântico é como um traje, que, como não é eterno, dura tanto quanto dura; e, em breve, sob a veste do ideal que formámos, que se esfacela, surge o corpo real da pessoa humana, em que o vestimos. O amor romântico, portanto, é um caminho de desilusão. Só o não é quando a desilusão, aceite desde o príncipio, decide variar de ideal constantemente, tecer constantemente, nas oficinas da alma, novos trajes, com que constantemente se renove o aspecto da criatura, por eles vestida."

"Noscete ipsum"

domingo, março 14, 2010

Epa!

Eu até gosto muito de cães. Mesmo. Tenho 5 caniches, e numa determinada altura cá em casa tínhamos 14 cães, quando tiver a minha casa quero um golden retriever que se vai chamar "goldy", mas...

Juro que o cão dos meus vizinhos dá comigo em doida!!!

Dá vontade de lhe fazer coisas más! (E eu sou contra a violência para com os animais, a sério que sou!!!)

Epa mas este cão... ladra como se não houvesse amanhã, todas as noites, e é um ladrar CHATO, que se enfia pela nossa cabeça dentro!
Os donos prendem-no dentro de casa e eu é que sofro!

Argh!!!
Já não o posso ouvir, esteve a ladrar o dia todo!!

Vou fazer qualquer coisa muito má, mas depois não me culpem!!


"Noscete ipsum"

Ena ena!

Aos poucos isto pega!!!

4 visitantes online neste momento! Fantástico!!!

:D :D :D













Obrigada pelas vossas visitas!!

(sim, eu sei que isto parece ridículo, mas neste momento o blog é o meu bebé, e fico toda entusiasmada com pequenos pormenores destes.... sim sim, shame on me...)





"Noscete ipsum"

I hate computers!!

Então é assim...

Uma pessoa trabalha que se farta, avança a sua história, escreve um capítulo inteiro, aumenta certas partes, está-se toda entusiasmada a escrever, é tão raro eu ter inspiração, e hoje, depois de Chopin, senti-me tão inspirada que adiantei as personagens de Juma, Mia, Roberta... passo a limpo e aumento um capítulo inteiro...

e...

clico em "save"...

Até aqui tudo bem...

A parte estranha foi a seguinte...

O computador NÃO salvou e PERDI tudo!

O trabalho de uma tarde pelo cano abaixo...

Tive um ataque de nervos tão grande, que só conseguia chorar!

Que raiva!

Mas depois pensei que esta máquina dos diabos não se ia ficar a rir de mim. Dei-lhe tantas, mas tantas tantas tantas voltas que lá descobri, não sei onde, o bendito do documento recuperado.

Nem imaginam o alívio que senti! ufa! Até respirei de outra maneira!

Criei logo não sei quantas cópias de segurança. Just in case... Não se vá o computador "passar dos carretes" outra vez...

Ai ai...


"Noscete ipsum"

Prémio "Este Blog tem qualidade" - update

Por lapso (peço imensa desculpa) esqueci-me de nomear para este prémio o blog Scapegoat, um dos que mais gosto pela sinceridade com que é escrito. Simples, despretensioso e sincero como ele há muito poucos.

Por isso, aqui fica o prémio e o desafio para Scapegoat!



O desafio:

1 - Que te levou a ter um blog?
2 - Escreves para ti ou para os teus leitores?
3 - O que gostas mais na blogosfera?
4 - O que te irrita na mesma blogosfera?


E mais uma vez, Mila, desculpa. Foi um lapso meu, mas o teu blog é de facto de grande qualidade e nem sei como me esqueci de te colocar na lista da primeira vez :$:$:$


"Noscete ipsum"

Ao ritmo do hip hop 2

Depois deste...

 













Que eu adorei, diga-se de passagem...

Chega a sequela.
Sara Jonhson na Juilliard. Até que enfim!!!



























Um início de tarde de domingo perfeito... =)


"Noscete ipsum"

A Secretária da Rita recomenda vivamente...

Miguel Sousa, setubalense, amigo e pianista de muito valor.
Vamos todos apoiá-lo!





"Noscete ipsum"

Não tenho mesmo emenda - parte 2

Ora bem, findo o pequeno almoço, e de conversa com o E., aconteceu a seguinte situação.

E. - Porque não pões o auricular para falarmos enquanto arrumas as coisas antes de estudares?

Eu - Porque o deixei no quarto. Espera aí que eu vou buscá-lo.

(agora vizualizem-me a ir até ao quarto, procurar o bendito auricular, e não o encontrar)

Nisto, jogo as mãos aos bolsos do roupão. E eis que encontro... o auricular!!!

Esteve comigo a manhã tooooooooooda!

Podia ter evitado subir e descer 14 degraus. Mas não!!! A distracção leva a coisas destas...

Não tens emenda, Rita. Não tens mesmo!

"Noscete ipsum"

Altamente!!!!!!!

Estava eu a tomar o meu pequeno almoço, constituído por café gelado e torradas esturricadas quase em carvão, quando decidi explorar a possibilidade de traduzir o blog através daquele botãozinho muito engraçado que diz translate.

Sabem o que descobri?

Não?

Ninguém quer tentar adivinhar?..

Oh,.. vá lá... é fááááááácil!!!


Descobri que o blog pode ser traduzido para RUSSO e UCRANIANO!!! Altamente!!!

É que até lhes põe os caracteres do alfabeto deles!!

Que fixe!!!

"El amico russo" não terá mais problemas em entender o que por aqui eu digo!!

É que estou mesmo contente!!

E bem, já vos informei de tal facto, vou só até ali estudar os Nocturnos de Chopin!

Beijinhos e abraços e um domingo maravilhoso para todos vocês!!


"Noscete ipsum"

sábado, março 13, 2010

É que não tenho mesmo emenda!!

Toda a gente que me conhece já sabe que eu sou distraída, certo?
Ainda ontem foram mais duas "pérolas"...

Estive a tarde toda no gabinete, com o aquecimento a 28º e com o casaco vestido... e estava a estranhar estar com tanto calor!!! (Clap clap clap)

Chego a casa, ponho o pijama (cor de rosa pois claro) e ponho os óculos. Que estranho... está tudo turvo! Mas os óculos não funcionam? 5 minutos depois chego à brilhante conclusão... de que me esqueci de tirar as lentes de contacto!! Claro que estava a ver turvo!! Tinha o dobro da graduação que precisava! (outra vez... clap clap clap)

Mas a melhor foi há 5 minutos.

Estou a falar com a XXX e pergunto por que ainda nao me adicionou ao msn. Transcrevo a conversa:

Eu - Mas adicionaste o mail "tal"?
XXX - Sim, até vi o teu perfil!
Eu - mas que estranho.. aqui não aparece nada!
XXX - então adiciona-me tu, o meu mail é "xxx"
Eu - Ok, já está!
XXX - mas com que mail me adicionaste?? Não foi o que me deste!!! Apareceu outro completamente diferente!!!

(CLAP CLAP CLAP CLAP em CAPS LOCK e tudo!!!)

Conclusão... há uns tempos tinha outra conta de email, que usava raramente, mas que agora é a conta que uso para tudo... e não é a conta de msn que uso!!!

Que vergonha, Rita, não tens mesmo emenda...

"Noscete ipsum"
Andei por aí a vaguear por mais algumas secretárias... (re)descobri que não tenho paciência para um certo número de pessoas "pseudo-intelectuais": vocês conhecem o género. Um ponto preto num fundo branco é arte. E se eu não percebo isso, "ai filha mas que ignorante que você é" (mas isto dito assim com um tom de tia).

3 folhas rasgadas numa tela enegrecida. Arte que vale milhões.
Textos sem nexo nem sentido, como se o sentido de tudo estivesse na sua própria ausência.

Não...

Sou muito pão pão queijo queijo.

E pseudo-intelectualices, vindas de pseudo-intelectuais, com a mania que sabem mais que todos e que se dignam a olhar para a ralé bem lá de cima assim uma vez por mês... não fazem o meu género!

"Noscete ipsum"

Mexe com o meu sistema nervoso

Mulheres, ou raparigas adolescentes, ou pior, miúdas pequenas, que começam desde sempre a ser educadas com o pensamento de que "quem é magro é que é bonito".
Irrita-me.
Irrita-me certas pessoas dizerem "ah e tal eu nem consigo dizer que tenho 59kg".
Irrita-me pessoas magras e com corpos lindos dizerem "estou gorda, tenho que fazer dieta, ai a celulite, ai as estrias, ai que eu sou uma coitadinha porque visto o 36 e nao o 34".

Minhas senhoras:

Um conselho.
Desçam à realidade, sim?

Eu sou gorda, sou forte, tenho o corpo coberto de estrias por causa da cortisona que tomei.
Se gostaria de ser de outra maneira? Claro que sim! Mas se me queixo publicamente, "ai que engordei 2 gramas, que desastre"?? Claro que não!

Esforço-me por mudar e ponto final.
Se não consigo, paciência. Se não me aceito, também não venho para aqui dizê-lo!

O meu peso deve ser para vós um crime. Para mim não o é. Começo a aceitar-me. Uso biquini na praia ("ai o horror!"? - não olhem!), uso mini-saia, uso blusas sem manga.
O meu peso e o meu aspecto não me impediram de arranjar namoro, noivo, trabalho, carro, casa, etc etc etc.

E sim, irritam-me pessoas magras, com um corpo que todos desejam, virem queixar-se e fazerem-se de coitadinhas!

Paciência, hoje estou de mau feito, temos pena!


"Noscete ipsum"

Uma das coisas que gosto

no facto de trabalhar num sítio pequenino é aquela sensação de se estar em casa.
É muito bom sair do carro, dirigir-me ao trabalho e dizer um "bom dia" alegre a toda a gente que encontro no meu caminho.

Quando era bem pequenina, ensinaram-me isso como uma das regras básicas da boa educação. Quando ia de casa da minha avó para casa da minha tia, apenas a uns quarteirões de distância, do alto dos meus 5 ou 6 anos saía um "bom dia" em voz infantil, a que toda a gente respondia de bom humor. Era bom, fazia-me sentir integrada e protegida.

Depois cresci.

Mudei de cidade, para uma cidade maior, e esse "bom dia" espontâneo começou a perder-se. Eu passava pelas pessoas na rua, dizia um bom dia, e olhavam para mim como se eu viesse de Marte.

Mais tarde, pior ainda.

Fui para a Universidade e aí olhavam-me como se eu viesse de Plutão!!

Mas hábitos antigos nunca se perdem. Mal ou bem, um "bom dia", "boa tarde" ou "boa noite" continuava a sair da minha boca, dirigido a qualquer pessoa com quem eu me cruzasse. (Ok, a excepção é em Lisboa, e é por isso que cidades grandes me fazem confusão, é uma aculturação completa, por muitas pessoas que haja, vivem todas numa solidão tremenda, ninguém se conhece... é a des-socialização completa do indivíduo).

Hoje em dia trabalho numa cidadezinha pequena, num dos concelhos mais pobres de Portugal.

Mas pobre só em termos de dinheiro.

Porque riquíssimo no valor das pessoas.
E vejo-me assim, anos depois, a voltar a dizer "bom dia" ou "boa tarde" a toda a gente que encontro na rua, sem medos de ser vista como um alien qualquer. E toda a gente me responde "bom dia menina" ou "boa tarde menina".

E é bom!

Lembra-me a minha infância.

Dito isto...

Boa tarde a todos vocês!!

"Noscete ipsum"

Vou passar a prestar homenagem

A quem quer que tenha inventado os auriculares bluetooth.
Permitem-me estar a 100% contigo... mesmo que não estejamos a falar, pelo menos fazemos companhia um ao outro, que é o que eu preciso...

É a essa pessoa e a quem inventou o tarifário Yorn Power Extravaganza.

Obrigada aos dois. Do fundo do coração.

Já me sinto melhor!!


"Noscete ipsum"
Devias estar aqui comigo e não estás. Sei que não podes estar hoje aqui, mas precisava de ti, do teu abraço, da tua voz, do teu conforto.
Precisava de olhar para os teus olhos e ver neles os nossos planos.
Sabes... És das melhores coisas que me aconteceu, ainda hoje não acredito que nos encontrámos.
O amor é de facto estranho. Com tanta gente no mundo, com tanta gente em Portugal, com tanta gente em Évora, com tanta gente no Algarve, e encontrámo-nos mutuamente. Como diz Eça de Queirós, sabes?
Afinal... como nos encontrámos?
Devemos ambos ser especiais, somos os dois teimosos que nem portas velhas e carunchosas, queremos sempre tudo à nossa maneira, não concordamos no preto e no branco, e eu não gosto de áreas cinzentas.
Não obstante, vamos casar.
Sinto a tua falta, sinto a falta apenas de estar junto a ti.
Mas não estás.
E ver-te uma vez por semana apenas começa a ser insuportável...


"Noscete ipsum"

*suspiro*

Dói-me a cabeça.
Estou sozinha.
Não vai ser um bom dia...
Sinto-me assim um bocado invisível a todos os níveis, e let me tell you, it sucks!
Sei que é ridiculamente estúpido, mas tenho-me dedicado a este blog como sei lá o quê, se calhar mais do que devia, numa tentativa algo estranha de ser um bocadinho mais conhecida por aí.

Sim, que querem que vos faça? O anonimato incomoda-me um bocado, e desculpem se vos pareço fútil, ou "poucachinha", mas às vezes também tenho direito a querer os meus 5 minutos de fama.

E não, não são ciúmes.

Estou simplesmente farta de ser invisível para todos.

Dantes era tudo o que queria, agora... ando com ideias de grandeza que não sei de onde vêm.

Apetece-me gritar ao mundo "estou aqui!"

May your saturday be better than mine...


"Noscete ipsum"

Ok...

É como se diz... whatever...
Às vezes nem sei porque me preocupo ou tento ser mais "socialmente" activa... começo a chegar à conclusão de que nem por isso...

Whatever...

Mas é assim:





Os pontos centrais são do mesmo tamanho. Vêmo-los maiores ou menores de acordo com o que nos rodeia.


Whatever...

Happy Saturday everyone

"Noscete ipsum"

sexta-feira, março 12, 2010

Prémio "Este Blog tem qualidade" - resposta e nomeações

Como a Lu muito bem assinalou, coloquei o desafio mais ainda não lhe respondi... O tempo não é elaástico, meus amigos!!

Ora bem, aqui vai:

1 - Que te levou a ter um blog? Na altura, estava muito na moda criar um blog e, como podem ver nas minhas primeiras postagens, "o que faz o inglês fazem todos os três"... e achei interessante ter um espaço onde pudesse escrever o que me passava pela cabeça... sempre gostei de escrever, e considerei isto uma boa hipótese de desenvolver essa actividade.

2 - Escreves para ti ou para os teus leitores? Em primeiro lugar, para mim. Porque tenho que gostar do que escrevo. Mas confesso que agora, mais que há uns anos, tenho mais cuidado na maneira como escrevo, de forma a que se torne interessante para quem visita Choque Cultural.

3 - O que mais gostas na blogosfera? Sem dúvida a capacidade de conhecer novas pessoas, novos dilemas, novas formas de ver o mundo. Bem aproveitada e gerida, é um excelente sítio de "convívio", se entendem a expressão.

4 - O que te irrita na mesma blogosfera? Guerrinhas sem sentido que se tornam irritantes porque, no fim de contas, a blogosfera é isso mesmo... um conjunto de blogs, espaços virtuais. Se as pessoas se querem preocupar, há tanto problema real neste mundo...


Ora bem, passamos ao segundo ponto.











Ofereço este selinho de "Este blog tem qualidade" a:

Stupid is the new smart
O meu blog é secreto
Deita cá pra fora
Diário de uma dona de casa à beira de um colapso
Diário de uma Gaja (mamã) louca
Eu e o meu Umbigo
Vamos Opinar
Perguntas sem resposta (ou não)
Pensamentos de Cão  (ainda vives??)
Atrium Musicologicum (apesar de saber que o L. não liga peva a isto, o blog dele tem MESMO qualidade)


Levem o selo, postem, levem o desafio, respondam, e passem aos blogs que achem que tenham qualidade!!

Enjoy! :)

"Noscete ipsum"

Da lista

Ponto 58 da lista efectuado!

O selinho é o seguinte:



O desafio a ele associado:

1 - Que te levou a ter um blog?
2 - Escreves para ti ou para os teus leitores?
3 - O que mais gostas na blogosfera?
4 - O que te irrita na mesma blogosfera?

Quanto a nomeações... virão esta noite quando tiver tempo! :p



"Noscete ipsum"

Não podia estar mais de acordo

Concordo plenamente com esta crónica de Vasco Pulido Valente que acaba de me chegar às mãos através de um bom amigo. Subscrevo-a totalmente, e está relacionado com tudo o que eu tenho dito sobre política nos últimos dias (como por exemplo aqui ou aqui).

Passo a transcrever:

"Opinião (Público 27 de Fevereiro de 2010) 

O fim do regime?

Por Vasco Pulido Valente

Os regimes começam a cair pelos seus partidos. Portugal é um exemplo claro. Quando os partidos tradicionais da monarquia constitucional, o Partido Regenerador e o Partido Progressista, perderam qualquer espécie de identidade ideológica e programática, falharam sucessivamente no governo e se desintegraram em facções sem significado e sem destino, a República chegou. E, na República, quando o Partido Democrático de Afonso Costa, depois de 1918, deixou o seu jacobinismo original e passou a ser um conjunto de pequenos ranchos que se guerreavam, nada podia já impedir o 28 de Maio e a Ditadura. Mesmo a Ditadura se desfez, quando Salazar morreu, em bandos de "notáveis" que se detestavam e que pouco a pouco conseguiram paralisar Caetano.
A agonia desta II República, sob que vivemos, também está hoje à vista no calamitoso estado dos partidos parlamentares. O PC há 20 anos que não acredita na revolução e só quer impedir o governo de governar - seja ele qual for: da direita, do centro ou do PS. É um apêndice maligno, que dura contra todo o senso e toda a lógica. O Bloco, que não passa do PC da nova classe média, não serve para nada. Acabou por se tornar num grupo de protesto vociferante e vão, incompreensivelmente instalado em São Bento. E o PS, que Sócrates transformou numa tropa calada e reverente, vai desaparecendo agora, afundado (com razão ou sem ela, não importa) em escândalos de vária ordem e gravidade, e numa crise que não previu e não soube tratar. Como pode ele, sozinho, sustentar o regime?
Quanto ao PSD, Santana Lopes disse ontem que é, literalmente, uma "casa de ódios". Não vale a pena insistir na balbúrdia eleitoral em curso e na irremediável mediocridade dos candidatos. Ou no congresso extraordinário, que se reunirá em Março, ninguém percebeu ainda por quê e para quê. O PSD "precisa de salvação", como explicou Santana? Com certeza que sim. Mas, "precisando de salvação", como se propõe esse náufrago salvar o país? Falta falar do CDS ordeiro e laborioso de Paulo Portas, que não sai e parece que nunca sairá do seu cantinho. Por muitos méritos que lhe atribuam ou que, de facto, tenha, contar com ele não é realista. Na II República já não existem partidos. Existem sombras de partidos, restos de partidos, destroços de partidos. O regime não irá durar muito."


"Noscete ipsum"

Rascunhos antigos